Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

sábado, outubro 22, 2005

Papagaio caminhando num mosaico




Ontem a noite, na balada, Federico teve a experiência religiosa de beijar os lábios de três ou quatro seres inefáveis. A um deles conseguiu arrancar o número de telefone. Na volta para sua “kit-solidão”, as luzes da cidade maltrataram-lhe as retinas; a lembrança dos beijos se transformou numa metáfora náutica. No dia seguinte, o guardanapo amassado encima da mesa com o número do telefone da responsável pela pertubatio animi, como uma pedra de criptonita, lhe produzia uma obnubilação mental.
Às 17:00 horas renunciou à sua liberdade, o desejo de aqueles lábios provocava alterações indesejáveis no espelho do seu humor .
Finalmente criou coragem para discar, a voz do outro lado tinha um cansaço hepatítico.

Federico: gostei da experiência de ontem ...
Ser inefável: eu também ...
Federico: você gostaria de repetir a dose?
Ser inefável: olha... o que aconteceu ontem foi uma experiência, eu não estou afim de torná-la um experimentum.

Galileu Galilei, provavelmente, não teria cometido este erro de avaliação. Ele mesmo tinha postulado no século XVI... individuum est ineffabile (nada podemos saber sobre o indivíduo). Por esta razão devotou-se a compreender as regularidades decifrando a obscura linguagem geométrica do universo.
Quis, convencer à igreja da leitura do mundo sobrepujando as fronteiras do latim eliminando “os mal entendidos entre fé e ciência”. Assim o experimentum foi a principal ferramenta deste sábio. Dito de outra forma, experiência controlada e repetida sob as mesmas condições.


Este método experimental que assume o universo como um texto, expulsa do seus domínios outros sentidos do conhecimento; audição, tato, olfato. Os mesmos sentidos foram usados a noite anterior por Federico na boate e foram usados milenariamente pelo conhecimento conjectural.

A conjectura é arbitrária, rebelde, escorregadia. Não pode ser controlada. Assim como agora são os lábios do ser inefável.
O triunfo do Hemisfério esquerdo não acontece somente no ocidente. Os rituais Ndembo, a cultura Nuer e a mitologia Trikster estão aí para reforçar esta misteriosa dominação. Os métodos substituíram o julgamento humano, a evangelização metodológica propiciou o aparecimento de profetas que pregoam as “maneiras certas de fazer as coisas” “Deus está do nosso lado” .
O ápice da dominação metodológica advém das culturas que mais têm intolerância ao erro. O autoritarismo começa com o controle sobre se mesmo. A elegância lógica esconde o trabalho sujo da pesquisa. Em quase nenhum trabalho científico, dissertação ou tese se expõem os procedimentos ou hipóteses que fracassaram. Há uma etiqueta metodológica que impede mostrar os truques do ofício, as gambiarras, os gatos dos analistas que interpretam dados. O caminho das pedras se aprende nos botecos, nos corredores. O cientista “hard” depois de passar o dia inteiro no seu local de estudo à noite consulta os búzios, deixa uma grana no terreiro do padre adivinhador; o coniector , aquele que o conecta com o Acaso e lhe oferece as conjecturas com as que ele trabalha. Nosso cientista, da mesma forma que nosso jovem apaixonado, parece um papagaio apavorado correndo num chão de mosaico.

Até breve
Eladio e Cinthia

PS: a definição do inefável...

" Inefáble... este adjetivo sucede en todos los escritos, y es un conmovedor desvarío de los que generosamente lo desparraman al no haberse jamás parado a escudriñarle la significación...Inefable es por definición... aquello que no alcanzan las palabras...Aplicarlo a cualquier sustantivo es, pués, una confesión de impoténcia, y escribir por ejemplo, "tarde inefáble" equivale a decir: A mi no se me ocurre nada...

Há muitos anos fomos presenteados com esta bela definiçaõ de Jorge Luis Borges, pelos nossos amigos Luciana Martins e Adalberto Müller.

Conferir:


GINZBURG, C. Morelli, Freud e Sherlock Holmes: Pistas e o Método Científico. History Workshop Journal nº 9 , 1980.
BECKER, Howards. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo, Editora Hucitec, 1994.

4 Comments:

Blogger Nina Barki said...

Linda essa frase, individuum est ineffabile.
Ainda estou à procura de uma citação para o meu trabalho. Aliás, creio q encontrei uma, mas receio q, por ela ser em inglês, não agrade a muitos. O q vc acha?
Beijos!

6:44 PM  
Anonymous leoh (polindo kriptonitas) said...

"o que ei de fazer com esses desleixados e desesperados?" cantavam em mantras sacerdotes do mundo inteiro. tinham eles fé ou razão. os de primeiro tipo pensavam em rituais. os segundos em tipo de métodos. mas era a mesma ladaínha. o mesmo discurso sobre o "método". a mesma falta de paixão. porém, plenos de fascínio, esperança e projeto. quanto controle. quanto sacrifício. quanta abnegação. quanto silêncio. quanta memória. quanta economia. não tinha direito à existência quem nada espera, quem nada arquiteta, quem não é efeito, quem não é regra. mais mantras: "morte à excessão, à experimentação, ao risco, à matiz!" "viva o registro!" foi então que recolhi minha falta de esperança, falta de direitos e futuro e, sem pedir licença, dei um chute na bunda de alguns fredericos e resolvi não morrer de tédio!

1:58 AM  
Blogger A MATRIZ said...

Caro amigo,
. Como seria uma pesquisa, por exemplo, sobre as origens da vida ou sobre a razao do nariz ter dois e nao um , tres ou cinco buracos,envolvendo os sentidos da audicao, do tato, da visao?!
. Se voce estah criticando eh porque tem uma sugestao diferente, certo?
. Vamos lhe propor algo. existe um metodo para investigar as origens da vida que envolve visao, tato, e muito coracao:anatomia comparada. Foi atraves dela que se desenvolveu nossa medicina.Portanto se queres saber como a vida surgiu aplique a anatomia comparada entre o que havia neste mundo antes e depois do evento da vida. Ou seja: anatomia comparada entre istemas naturais vivos e nao-vivos. Entre atomos e galaxias, do lado do antes, e mundo vegetal e animal pelo lado do depois. Os resultados vao surpreende-lo tanto que todo o mundo acreditado hoje entorna de pernas para o ar. Mas infelizmente penso que nao podes faze-lo agora, pois em nosso caso essa investigacao tomou-nos trinta anos de muito trabalho e custos. Como professor e estando no Brazil, voce tem aqui uma rnorme oportunidade de fazer a diferenca, de participar na busca de um mundo melhor para a humanidade,... para ti e para os teus. Se interessas ver os resultados que obtivemos com este metodo, visite nosso blog: http://theuniversalmatrix.blogspot.com
Veja os links para outros blogs,
Abracos

A Matriz

Um ser inefavel experimentando a estranha leveza do ser

9:24 PM  
Anonymous Rafae H. Moraes Pereira said...

Bonito o paradoxo nao? uma palavra para expressar "aquello que no alcanzan las palabras"...

1:21 AM  

Postar um comentário

<< Home