Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

segunda-feira, agosto 07, 2006

Monólogo com Narguilé


“Onde estiver vosso tesouro, aí está vosso coração” Lembrava Nietzsche na sua “Genealogia da moral”. Encontros humanos são também eventos metafísicos preenchidos de “sons exclamatórios” (Greeson), melhor ainda quando o silencio manifesta-se. É o grande momento da amizade. Depois poderão vir o sono, o orgasmo ou a morte.

Os objetos, também silenciosos, lançam perguntas que mais são cavalos de Tróia e quando os aceitamos revelam-se pesadas mochilas. E dentro, seus “aprioris morais”.

E nossos tesouros, onde estão? onde estão nossos corações? Ontem, Carlos Gardel ao fundo, confirmei que a diferencia entre a geração do meu pai e a minha foi apenas de três ou quatro tangos. Apenas isso foi o que consegui...cantar três ou quatro tangos a mais do que o velho Eladio. E graças a Deus aí ficou... Ana Cecilia não vai dar continuidade a este reino das metáforas dolorosas.

Sim, meus tesouros, templos e lampadários dos desejos mais caros, quanto se afastou de vocês meu coração!!
Não estou triste , estou com saudades. Esta diferença não existe nos tangos, a aprendi no Brasil.

No final da noite, a graciosa fumaça do nosso Narguilé era a alma do Emperador Adriano nos seus últimos dias:


”Pequena alma tenra e flutuante
Hospede e companheira do meu corpo,
Vais descer aos lugares pálidos duros nus
Onde deverás renunciar aos jogos de outrora...

P. Élio Adriano, Imp.

PS: Aos queridos amigos das "narguileituras" Jesse, Leo, J. Paulo, Paula, Flávia, Luciana, Cecilia. A minha amada Cinthia.

Conferir: HULAK, Samuel. Entrevista: mitos, métodos e modelos. OEDIP: Recife, 1988
YOURCENAR, Marguerite. Memórias de Adriano. Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 1980.


Imagem: Narguilé / Eladio Oduber. Agosto de 2006


7 Comments:

Anonymous Luciana said...

Palavras duras, de quem faz poesia, e não admite, por pura humildade.

10:09 PM  
Anonymous Liss said...

seus textos são sempre lindos, prova que você é um ser autentico.
Aquele que que descobriu sua liberdade olhando-se internamente, onde reside seu tesouro.
Adorei sua pintura.

12:38 AM  
Anonymous kaos - enfeitado com jasmim said...

misticismo psicodélico: eis um caminho popular em marrocos. lá meu coração está. para ser vendido. embrulhado em plantas enteogênicas. a atmosfera do folclore marroquino é boêmio, intuitivo, devaneia, de humor dadaista, sagaz e de poder espiritual superior à mística dionisíaca do vinho. lá, nós os renegados farristas, vestidos meio de turcos meio europeus meio brasileiros fumamos narguilês. assim damos espiritualidade a espíritos livros: via fumaças perfumadas adocicadas.

1:23 AM  
Blogger Nina Barki said...

Adoro ler seus textos, sejam eles críticas, elogios, curtos ou longos!
Sinto falta do blog, atualize sempre que puder!
Beijos!

5:29 PM  
Anonymous Rafael said...

Estava sentindo falta de um post. Lendo este deu uma p. vontade de dar uma pitada num narguilé levemente doce. A fumaça pairando no ar, densa, exclamação
fluída.

Mas deixo aqui uma pergunta. Pintar te inspira escrever? a inspiração vem no sentido oposto da relação? ou há multicausalidade de inspiração nisso tudo?

10:57 PM  
Blogger Cinthia Oliveira e Eladio Oduber said...

Amigo Rafael, eu estava também sintindo falta das suas palavras sempre instigadoras. Teria de verdade imenso prazer em lhe convidar um narguilé : de duas maçãs ou de melão com suco de frutas e vodka na base...
já sei que você iria a apreciá-lo bastante. Fique a vontade. Quanto á pintar e escrever acho que se parece muito com caminhar e falar ao mesmo tempo, sua última hipótese é verdadeira.

abraços do seu amigo Eladio

12:58 AM  
Anonymous Anônimo said...

Eladio e querida Cinthia.... quanta ausência de presença!
Sinto falta "minha linda" dos nossos papos embalados pela trilha sonora do pula-pula que leva do DF a Goias, com uma vista, como que ao fim de um olofote azul, das terras primeiras de Cabral...
Eladio... ??? Sem comentários. Mas já comentando, que do contrário não seria eu... compartilhar a experiência do narguilé de capuccino e conhaque (que conhaque...) com vcs é "um" para não dizer apenas "ímpar"....
Agora estou melhor... com um pouco mais de presença que ausência...
Abraços... e beijos....
Simone

9:17 AM  

Postar um comentário

<< Home