Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

sábado, julho 12, 2008

Encierros de San Fermin

“Ninguém sabe o passado que lhe espera” (anônimo.)


Gertrude Stein dizia que somente os povos espanhol e norte-americano podiam entender o sentido de certas abstrações. Utilizava como medida de comparação os alemães. Segundo Stein, estes últimos gostam do sangue das corridas de touros, diferente dos espanhóis e norte-americanos que gostam do ritual. (Stein Gertrude; apud Cecília Oliveira; Beirute Asa Norte)

Ontem, assisti paralisado, num canal da tv espanhola o inicio de um “encierro” em San Fermin – Pamplona. Dezenas de pessoas – na sua grande maioria homens - com rostos de pavor esperavam a abertura das portas que libertariam 14 toros que durante dois ou três minutos perseguem uma multidão em estampido.

No fundo todos querem estar próximos de Deus. Participar de um “encierro” é isto... A ansiedade de estar vivo e não ter a morte por perto desperta a sede de possuí-la.

Antes das portas se abrirem os corredores por três vezes lançam ao céu um pequeno cântico dedicado a “San Fermin”: “A San Fermin pedimos, por ser nuestro patrón, nos guíe en el encierro, dándonos su bendición...” E um ultimo grito que tenta espantar o medo ... “viva San Fermín”.

Medo de submeter-se às forças da natureza representadas nos touros robustos fartos de chifres medonhos.

Quem me botou no vicio de ver estas coisas foi meu bom amigo Fernando Campos Leza, natural de La Rioja, “cigueñero” de pura cepa.

No fundo eu gosto que, pelo menos, parte da Espanha tenha como heróes a estes corredores dos “encierros”. Outros povos cultuam o Batman e o Homem Aranha.

Não há como discutir questões “politicamente corretas” sobre touros com meu amigo Fernando. Ele somente enxerga a beleza do ritual. Diante do brilho nos olhos de quem vivencia o ritual, outros argumentos são como latidos de cachorros destinados à lua de uma noite azul e infinita.

PS: Fernando amigo, gracias por las malas influencias.


Eladio


Imagen: Silvino Bueno / Eladio Oduber, 2007

4 Comments:

Anonymous Anthar Abubakar said...

As-salaam-alaykum,
Caros amigos, tenho um parceiro do Rio de Janeiro que pode ser uma interessante má influências para quem faz as belas pinturas deste seu blog: Carlos Latuff. Ele me traz em imagem o que tento lhe trazer em náuseas. Falando nisso, vos convido para fazer parte de uma rede de apoio. Quando puder, acessem o seguinte sítio que ajudo a escrever: acampadosnoacnur.blogspot.com.
Ma'as-salama (tchau)

2:04 AM  
Blogger Francine Esqueda said...

Olá!
Foi um grande prazer descobrir este blog tão rico em arte e cultura! Com certeza voltarei com calma para apreciá-lo de ponta a ponta.
Um grande abraço

9:19 PM  
Blogger Francine Esqueda said...

Sei que entra pouco aqui... mas... Se souber de blog e sites sobre boas fotografias me indique!
Agradeço desde já!
Beijos e tenha um ótimo dia!

PS: Tem post novo sobre o assunto lá no meu cantinho!!!
"Fotografia, arma de amor, de justiça e conhecimento
pelas sete partes do mundo. Viajas, surpreendes, testemunhas."
Drummond diante das fotos de Evandro Teixeira.

3:28 PM  
Blogger Alberto J. Palombo said...

¡A Pamplona hemos de ir, con una bota, con una bota! ¡A Pamplona hemos de ir con una bota y un calcetín! Confesso que morei entre yankees e vascos. Os dois gostam do sangue. Felicitaciones, Cinthia e Eladio.

6:15 PM  

Postar um comentário

<< Home