Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

sexta-feira, março 21, 2008

Mulheres, frutas e a pesquisa de mercado

A gente sabe como foi que a guerra de Tróia começou. Sem ter sido convidada para um banquete no Olimpo, a Discórdia sentou-se à mesa, próxima às três deusas mais belas: Palas-Atena, Afrodite e Hera. Com um gesto displicente – e talvez um muxoxo de tédio – a Discórdia colocou uma fruta, um pomo, entre as três beldades e disse apenas: para a mais bela.

A elegância grega não informa sobre os cutucões e outros gestos esticamente questionáveis com que as deusas tentaram se apossar do fruto do Jardim das Hesperíades. Como estavam, aparentemente, em igualdade de condições, tentaram fazer – ali mesmo – uma pesquisa de opinião entre os deuses. Queriam que eles decidissem quem merecia ficar com o pomo da Discórdia. Não conseguiram. A indiferença olímpica dos deuses não deixou que a pesquisa de mercado tivesse origem divina...

As deusas não se conformaram com o empate técnico. Embora representassem a inteligência, o amor e o poder, elas nem cogitaram a possibilidade de dividir a fruta em três pedaços iguais. A solução que encontraram foi a de escolher um humano para responder à questão. Não por acaso, escolheram Páris: homem e jovem. A caminho de Tróia, o atleta Páris viu-se rodeado por três belíssimas deusas que lhe pediam que entregasse o pomo de ouro para a mais bela.

Consta que Páris tentou reagir com a isenção de um deus, mas... As três passaram a tentar influenciar sua escolha, prometendo recompensas. De Atena receberia glória e sabedoria, Hera lhe daria riqueza e poder, mas Afrodite lhe prometeu o amor de Helena, a mais bela mulher do mundo. Páris escolheu a deusa do amor e despertou, no mesmo instante, a ira de Hera e Atena.

Helena, filha de Zeus com uma mortal, era casada com Menelau, rei de Esparta. Para reunir Helena a Páris, Afrodite inspirou-o a raptá-la, durante uma providencial ausência de seu marido. Para recuperar sua esposa, Menelau promoveu uma guerra contra Tróia, a cidade governada por Príamo, pai de Páris. A guerra durou mais de 10 anos, envolveu todas as cidades gregas e deu a Ulisses uma viagem de volta para casa que foi uma verdadeira Odisséia.

Moral:

  1. o tipo de amostra influencia no resultado da pesquisa;
  2. nem sempre o resultado das pesquisas resolve conflitos.


Cinthia M.R. Oliveira

Para o Pablo Santos, que quer sempre ler meus textos.

Imagem: Pomo / Eladio Oduber / Janeiro 2008



3 Comments:

Blogger David Eduardo said...

É realmente a amostra peça importante na pesquisa, se é ela o produto em questão. Não é isso?

Agora, quanto a pesquisas resolverem conflitos, tenho cá minhas resalvas.

No mais, o texto é bem interessante.
Abraços,
David

10:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Cinthia,
achei muito interessante a conexão entre mitologia e pesquisa de mercado.
Continue escrevendo.
Beijos.
Daniel

10:04 AM  
Blogger Francine Esqueda said...

A Maçã foi um dos meus primeiros desenhos de observação! Estou adorando passear, relembrar e aprender por aqui! Claro que agora vim dar mais uma fuçadinha! Rs...
Tenha um ótimo dia!
Beijocas e abraços

2:11 PM  

Postar um comentário

<< Home