Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

segunda-feira, setembro 19, 2005

Presente da nossa amiga Lenise Sampaio

Há uma idade em que se ensina o que se sabe; mas vem em seguida outra, em que se ensina o que não se sabe: isto se chama pesquisar. Vem talvez agora a idade de uma outra experiência, a de desaprender, de deixar trabalhar o remanejamento imprevisível que o esquecimento impõe à sedimentação dos saberes, das culturas, das crenças que ultrapassamos. Essa experiência tem, creio eu, um nome ilustre e fora de moda, que ousarei tomar aqui sem complexo, na própria encruzilhada de sua etimologia: sapientia: nenhum poder, um pouco de saber; um pouco de sabedoria, e o máximo de sabor possível.
Roland Barthes

2 Comments:

Blogger Nina Barki said...

Professor, adorei!
Espero que vc mantenha esse blog com muito carinho, porque é assim que as pessoas começam a vir ler! Vou divulgar para o pessoal da sala e pra quem mais der.
Parabéns pela iniciativa e pelo lindo trabalho!
Abraço
Marina Barki

9:01 AM  
Anonymous leoh (de um banquete em praça ocupada) said...

ah... sentir o sabor das coisas... a melhor parte disso tudo é que temos que mastigar, ingerir, digerir, portanto, destruir o saboreado... o paladar é o nosso sentido menos metafísico!

1:41 AM  

Postar um comentário

<< Home