Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

segunda-feira, setembro 19, 2005

O começo 19/09/05

Estaremos, a partir de hoje 19 de setembro de 2005, falando sobre a paixão pela pesquisa e outras infâmias. Sejam estas acadêmicas, de mercado, institucionais ou simplesmente do cotidiano.

Abraços do Eladio e Cinthia (sociólogo e antropóloga)

7 Comments:

Blogger Honneur said...

Caríssimos,
Estarei sempre atento aos ensinamentos presentes e darei minha modestíssima colaboração.
Já era tempo de alguém ter uma idéia desse porte (e de colocá-la em execução) para que pudéssemos interagir nessa área tão sensível quanto atraente.
Grande abraço.
Honneur

11:54 PM  
Anonymous Anônimo said...

Um espaço que só uma figura humana como o meu querido professor Eladio Oduber poderia criar! Obrigada por me fazer repensar varios conceitos... a minha monografia vem toda com uma metodologia baseada na etnografia e na antropologia! Agora entendo algumas questões que converamos na ultima orientação... quero ver voce na minha banca... risos! com carinho, Ana Paula Garcia 8'sem CIRP

9:11 PM  
Anonymous Ana Clédina said...

Oi Cínthia, Olá Eladio!
Adoro o estilo doce das palavras de vocês.. sem dúvida temos muitos bons motivos pra visitar sempre este blog... obrigada!
Ana Clédina

4:25 PM  
Anonymous Leoh (da torre de El Minahr) said...

Aportado meu navio nesta ilha de zeros e uns. Astiada minha bandeira preta. Seguro minha faca positrônica entre os dentes. Em uma mão um mosquete laser. Na outra, uma espada curva de luz catódica. E eis minha boa nova: pilhei todas as idéia! Agora, espero Cinthia e Eladio juntarem mais terousos para meus futuros crimes intelectuais!

3:53 AM  
Blogger Honneur said...

Caríssimos Eládio e Cinthia,

A propósito dessa passagem de seu último texto “A elegância lógica esconde o trabalho sujo da pesquisa. Em quase nenhum trabalho científico, dissertação ou tese se expõem os procedimentos ou hipóteses que fracassaram.”, uma verdade sábia e cristalina, diga-se de passagem, gostaria de acrescentar o meu modesto comentário.
Não poderia ser diferente, não é mesmo? O trabalho de criação intelectual é, quase sempre, solitário e pontilhado de idas e vindas (até fiquei tentado a escrever “frustrações”); caminhos percorridos e refugados; certezas que geram incertezas; respostas que ecoam como perguntas; dúvidas que se revelam achados preciosos. Por isso mesmo é atraente, absorvente, apaixonante.
Quando perguntaram a Hillary, o primeiro a vencer o Everest, a razão por que subia montanhas, a resposta foi taxativa: “Porque elas estão lá!”. Assim o pesquisador, o pensador, o criador intelectual. Para esse tipo de gente esquisita e introvertida, os percalços, o sofrimento, a luta diuturna contra as trevas da ignorância não são levados em conta. A busca obsessiva pelo conhecimento não pára para lavar as mãos ou limpar o avental. Importam os resultados, que são brindados ao público com toda a pompa e circunstância que cercam os seres e os objetos amados.

10:51 AM  
Anonymous Marcelo Dias said...

Olá Querido Eladio, vc comosempre PERFEITO e sempre abusando da sua inteligência!!!

Te admiro cada vez mais!!!

Forte abraço do ex-aluno Marcelo Dias (IESPLAN).

2:00 PM  
Blogger ALFREDO RAFAEL said...

Agradecido por este envio, para la Integracion Latinoamericana nada como la Cultura, y ustedes son un maravilloso instrumento de proyección de la hermosa cultura brasilera

Alfredo Pérez Yépez
Ciudad Bolìvar, Estado Bolívar.
República Bolivariana de Venezuela

1:47 PM  

Postar um comentário

<< Home