Sobre pesquisa e outras infâmias

Diário de campo de dois espectadores e um pródigo bucaneiro.

domingo, janeiro 07, 2007

Café

Cultivar a arte de viver bem pressupõe desconfiar muito de se mesmo. Isto é, enquanto a mão direita mexe na panela da exuberância do espirito a mão esquerda prova o guiso da orgia intelectual. Em termos práticos, o bem viver, já diziam os antigos pela voz do meu recém amigo Mariano, se resume a dois movimentos. O primeiro, relacionado com um tipo de exagero interior, a “euforia”, em que tragamos com gula a cornucópia do mundo. Melhor dito, encontramos os amigos, fumamos, tomamos cerveja, estudamos, flertamos, pechinchamos, cochilamos, tornamos a vida densa e acre.

O segundo movimento é relativo ao mundo externo, a “disforia”. Uma sorte de vomito expressivo que propiciam os caldos estomacais que, por sua vez, expulsam as representações das representações. Em outras palavras, abrimos o dique das nossas pestilenciais defecando a ópera do lirismo interior. Um poema, um quadro, um gesto. Assim como o autoritarismo tem sua fonte no auto controle, a liberdade nasce da auto desconfiança.

É preciso, muitas vezes, duvidar dos desejos, dos motivos que atribuímos às nossas ações.
Deixar, então, que o telos eufórico e disfórico realize seu ciclo, dinamize o rumo da vida a ser vivida, se manifeste através de nós, frágeis instrumentos.

Eladio Oduber.


Recomendo bater um papo com: Mariano, Leo Pimentel, Sandra Kretly, Cecilia e Cinthia Oliveiras e Solange Miguel Marcondes Armando.

Ler: GRAF, Christine & GRAF, Dennis. "Café Life in Paris: a guide book to the cafés and bars of the city of light". Massachusetts: Interlink Publishing, 2006.

Escutar: Driftin (the Blue Note Years) Herbie Hancock


Imágem: Invierno / Eladio Oduber. Novembro, 2006

5 Comments:

Blogger David Eduardo said...

muito legal o texto, como sempre. Mas alguns chamam a esse estado a tal da bipolaridade. Esquecem os pseudopsicólogos que a vida é dicotômica.
Portanto, vamos a um cafézinho.
abs
David

2:42 AM  
Blogger judith said...

Creio que a vida é multipolar.... uns dias introspectivos outros comunicativos e outros alheios a qualquer rótulo - são dias de viagem.... um cafezinho?... sim na província onde é facil ser multipolar... que tal?
adoro os textos e tenho saudades daquele bate papo em casa de voces quando a Dada ia casar... lembram-se?

8:53 AM  
Blogger Marina said...

Sem desmerecer os textos, tenho dado atenção especial aos quadros, fascinantes!
Beijos

Marina

10:55 AM  
Anonymous rafaelmoraeshp said...

Me fez lembrar que, mesmo quando pensamos sozinhos, parece que nossa mente dialóga com si própria. Daí a essa (bi)multipolaridade de espírito e atitude nao seria algo inseparável de nós mesmos?
Eladio, saudades dos seus textos.

11:28 AM  
Blogger Federico said...

obrigado Ela, a autodesconfiança será porque nos hemos "autotraído" ja alguma vez?
abrazo desde Uruguai, tu blog se lee aquí

7:07 PM  

Postar um comentário

<< Home